Arquivo de outubro, 2009

Somos

Posted in Pensamentos on 31/10/2009 by Rê

Somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos.

(Eduardo Galeano)

!frase do dia!

Posted in Pensamentos on 29/10/2009 by Maicon

Zappa

“A mente é como um pára-queda, só funciona se abrir.”

(Frank Zappa)

Você já fez sua maldade hoje?

Posted in Quelques choses on 28/10/2009 by Maicon

Você já fez sua maldade hoje? Então vá fazer. Pense em algo. Não estou dizendo que você tenha que prejudicar alguém, não é isso. Você consegue entender?

Algumas pessoas são bondosas demais, por natureza. Jamais conseguem fazer algo que possa ser interpretado como mal por alguém, jamais conseguem dizer algo forte, dar uma sacudida naquele alguém que precisa ouvir determinada coisa. Outras pessoas até pensam em fazer algo mais enérgico frente a uma determinada situação, mas na hora de agir acabam deixando passar a chance. Depois ficam pensando que deviam ter feito isso, que deviam ter dito aquilo. Agora não adianta, já passou. Outra coisa que certamente influencia na hora de “fazer uma maldade” é o medo do julgamento dos outros, sejam amigos, conhecidos ou mesmo desconhecidos.

Também não precisa (a não ser que faça questão) ser aquela pessoa irônica, que quer sempre polemizar, que acha que a verdade tem que ser dita na cara mesmo, doa a quem doer e seja qual for a conseqüência. Esse tipo de pessoa consegue um pouco de admiração dos outros, mas me parece que, na verdade, se esconde atrás de uma máscara, a qual apenas esconde sua insegurança. Posso estar errado (e provavelmente estou), mas é assim que percebo.

Bom, deixando de lado essa questão de ser bom ou ser mal, o importante é estar atento ao objetivo. Com isso em mente podemos usar dos mais variados recursos para fazer uma pessoa entender algo, ou para conseguirmos aquilo que queremos. Não podemos esquecer também das conseqüências desse ato. Alguém pode dizer: Isso foi mal! Você não pode agir assim! Mas o julgamento dessa pessoa não pode ser mais importante do que o nosso próprio. Se o objetivo é nobre e a consciência e palavra estão alinhadas com nossos atos, o julgamento alheio perde sua importância. Então aquele ato pode ser interpretado como mal se analisado isoladamente, mas no seu contexto geral representa parte de algo bom. Como Amélie Poulain, que precisou fazer algo mal para dar uma lição no Monsieur Collignon. Se você assistiu ao filme, sabe do que estou falando. Se não assistiu, assista. Acho que é um bom exemplo.

Enfim, o importante é saber que há vários caminhos, várias formas de agir para se chegar onde se quer. Não precisamos nos prender nos julgamentos e condicionamentos dos outros, e muito menos nos nossos. Podemos começar e recomeçar todos os dias, até encontrarmos uma fórmula.

Pré-conceito… Preconceito

Posted in Pensamentos on 27/10/2009 by Rê

Albert Einstein

Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito.

A. Einstein

Amor de outono…

Posted in Dia-a-dia on 27/10/2009 by Rê

amor de outono

Alguém tem que ceder

Posted in Pensamentos on 26/10/2009 by Rê
DeRose
“Às vezes, é apenas a questão de “hoje eu cedo e amanhã a outra pessoa vai ceder”. Porque há uma reciprocidade natural entre os seres humanos.Quando você tem uma atitude cavalheiresca, uma atitude fidalga relativamente a uma pessoa, mesmo que íntima, mesmo que seja um irmão, mesmo que seja um cônjuge, a tendência é que o outro reaja de forma semelhante numa circunstância imediata ou futura.

Certa vez, um amigo meu estava a conduzir muito mal. Fez uma inversão péssima e outro motorista quase abalroou o carro dele; o outro pôs a cabeça de fora e já ia dizer uns impropérios.

O meu amigo fez-lhe um sorriso muito simpático, como quem diz: desculpe, eu errei. O outro meteu a cabeça para dentro e disse: “vai, meu filho, vai!” E não deu briga. O que evitou o confronto? Foi só um sorriso”.

(DeRose)

O que faz bem à saude

Posted in Pensamentos on 23/10/2009 by Rê

 Acho a maior graça.

Tomate previne isso, cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas não exagere…

Diante desta profusão de descobertas, acho mais seguro não mudar de hábitos.

Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde.

Prazer faz muito bem.

Dormir me deixa 0 km.

Ler um bom livro faz-me sentir novo em folha.

Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois rejuvenesço uns cinco anos.

Viagens aéreas não me incham as pernas; incham-me o cérebro, volto cheio de idéias.

Brigar me provoca arritmia cardíaca.

Ver pessoas tendo acessos de estupidez me embrulha o estômago.

Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano.

E telejornais… os médicos deveriam proibir – como doem!

Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo, faz muito bem! Você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada.

Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde!

E passar o resto do dia sem coragem para pedir desculpas, pior ainda!

Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou mussarela que previna.

Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau!

Cinema é melhor pra saúde do que pipoca!

Conversa é melhor do que piada.

Exercício é melhor do que cirurgia.

Humor é melhor do que rancor.

Amigos são melhores do que gente influente.

Economia é melhor do que dívida.

Pergunta é melhor do que dúvida.

Sonhar é melhor do que nada!

(Luis Fernando Verissimo)