Archive for the Rascunhos Category

Escolha suas influências

Posted in Rascunhos on 13/08/2010 by Maicon

Desde crianças somos “educados” e influenciados por nossos pais e pelos outros adultos à nossa volta (olhe o vídeo que a Mari postou no seu blog, e que a Rê postou aqui também,  antes desse texto). Nossa alimentação, por exemplo, é determinada pelos pais. Nos habituamos a comer aquilo que eles colocam no nosso prato.

Depois crescemos e temos a possibilidade de escolher o que comer (leia esse outro post, no blog da Flor). Além disso, temos a possibilidade de escolher o que estudar, no que trabalhar, com quem andar, qual tipo de música escutar, o que fazer no final de semana, e por ai vai. Estamos condenados a ser livres, como disse Sartre.

Porém, nossas escolhas continuam sendo influenciadas pelo mundo à nossa volta. Então posso continuar colocando no meu prato aquilo que meus pais me acostumaram a comer, ou posso experimentar aquele prato que meu amigo pede, no restaurante, ou posso ainda experimentar  algo totalmente novo. Mas geralmente nossa inclinação para esta ou aquela escolha é influenciada por algo externo ou alguém. Isso nega a idéia de que somos totalmente livres? De forma alguma. Se tivermos consciência e discernimento veremos que temos a liberdade de escolher, inclusive, nossas influências. Certa vez um amigo me disse: Diga-me quem são teus ídolos e eu te direi quem és. E é verdade. Posso escolher meus ídolos, meus super-heróis, e através dessa identificação desenvolver seus “super-poderes”. Não se trata de copiar ninguém, mas de ter uma referência, uma inspiração. Como por exemplo, alguém que está aprendendo a tocar guitarra e tem como ídolo o Joe Satriani. Ele vai ouvir os discos do Satriani, vai aos seus concertos, vai assistir suas vídeo-aulas, vai aprender suas técnicas. Através dessa identificação desenvolverá seu próprio estilo, sua originalidade, e atingirá seu objetivo de se tornar um grande guitarrista. Como fez o Steve Vai, que inclusive fez aulas com o Joe Satriani no início de seu aprendizado.

Com consciência e discernimento podemos sair do automático e escolher por quem seremos influenciados, sem que para isso seja preciso deixar de conviver com quem quer que seja. Não é porque parei de comer carne que vou deixar de visitar minha mãe nos domingos para um belo almoço em família.

Através de escolhas conscientes acabamos invertendo o fluxo e nós mesmos temos a chance de influenciar outras pessoas positivamente. Assim crescemos todos juntos.

Anúncios

Envelopper X développer

Posted in Rascunhos on 10/08/2010 by Maicon

Envelope veio do francês, envelopper, que significar envolver. Uma carta que chega às minhas mãos só terá sentido se eu tirá-la de seu envelope, se eu des-envolvê-la. Só assim eu poderei lê-la, e ela terá cumprido seu papel.

Nós, da mesma forma, precisamos nos desenvolver. Se quisermos cumprir o nosso papel, precisamos sair desse envelope, dessa casca de condicionamentos e de paradigmas que nos impede de agir como pensamos, como queremos, como podemos. Só assim nos realizaremos.

Mas não adianta só ler aqueles livros que teorizam sobre verdades, sobre como agir, como fazer amigos, como ficar rico, como usar o poder da mente para atingir seus objetivos na vida, etc. Também não é suficiente ler livros sobre a cosmogonia do Universo. Isso tudo pode ser válido, mas é preciso algo mais. É preciso um Método; algo sistemático e prático, que nos permita incorporar na carne o verdadeiro conhecimento. Algo que nos possibilite acessar nosso subconsciente, para nos entendermos antes de mais nada.

Só assim conseguiremos arrebentar esse invólucro e sair para fora, para respirar ar puro e vislumbrar o céu azul.

Saiamos da casca!

O bichinho

Posted in Rascunhos on 09/08/2010 by Maicon

Se aparecer alguma discussão, algum mal estar, algum desentendimento, não deixa o bixinho crescer. Deixa pra lá, pois já sabemos que a discussão não vai resolver nada mesmo. Deixa o bixinho minguar e morrer pequeninho. Vai dar uma voltinha, escutar um som, fazer um ásana, e quando voltar vai ver que nem tinha muita importância mesmo.

Mas se não conseguir evitar e acabar acontecendo aquilo que você não gosta; se acabar caindo naquele mesmo condicionamento de sempre, que te leva para aquele lugar nada agradável, não dá importância, tampouco. Não fica sofrendo pela frustração de não ter conseguido evitar. Perceba que você errou, mas não dê bola pra esse bicho que cresceu, ficou enorme. Não alimenta ele. Ele vai morrer grande, e depois você vai achar que ele nem tinha ficado tão grande assim.

Não é fácil mudar um condicionamento. Algumas vezes conseguimos evitar, outras vezes caimos na mesma vala. Então respira fundo, sai da vala e faz alguma coisa. Se não conseguiu agir no momento crucial, age agora. Sempre é hora.